Panela de barro é que faz comida boa

Moqueca na Panela de Barro

Moqueca na Panela de Barro

 

A produção artesanal de panela de barro é uma das maiores expressões da cultura popular de Vitória, no Espírito Santo. A técnica na produção, assim como a estrutura social das artesãs, pouco mudou em mais de 400 anos.

Nos últimos séculos esse trabalho sempre garantiu a sobrevivência econômica de famílias.

A arte de confeccionar as panelas de barro foi herdada das culturas tupi-guarani e transmitida por várias gerações. Desde 2002, o ofício de fazer panelas de barro é reconhecido nacionalmente como um Bem Cultural de Natureza Imaterial e titulado como Patrimônio Cultural Brasileiro.

As autênticas Moqueca Capixaba e Torta Capixaba, dois pratos típicos regionais, somente são servidos nas panelas de barro por tradição.

Quer a receita clique aqui!

 

Durabilidade: descoberta cerâmica com mais de 20 mil anos

A durabilidade da cerâmica é bem conhecida. Descoberta recente revelou fragmentos com cerca de 20 mil anos de idade, achados em caverna na China.
A data impressiona, pois mostra que a cerâmica já existia antes de surgir a agricultura, há 10 mil anos.
A idade da cerâmica coincide com o pico da última Era do Gelo, quando houve uma redução dos recursos alimentares. O povo daquela época se beneficiava do cozimento em cerâmica, que ajuda a obter mais energia dos alimentos.

Cerâmica durabilidade de 20 mil anos

Cerâmica: durabilidade de 20 mil anos

Quantidade X Qualidade na habitação

Morar com dignidade

Morar com dignidade

Morar é uma necessidade essencial à sobrevivência das famílias. Nas últimas décadas a construção de casas populares não deu conta do crescimento da população e imensos cinturões de moradias autoconstruídas abraçaram nossas maiores cidades.

Simplesmente acelerar a construção, para vencer o déficit habitacional, não resolve todo o problema. Precisamos construir com qualidade, afinal não podemos substituir as favelas por algo igual ou pior.

A responsabilidade dos programas habitacionais vai muito além da construção: precisam ajudar a criar cidades com qualidade de vida, dignidade e cidadania.

Assista ao vídeo e dê sua opinião

Blocos e Telhas Cerâmicas: produtos de primeiro mundo

Na Europa, as telhas e os blocos cerâmicos são produzidos com muita tecnologia e qualidade. Há uma grande variedade de produtos que atendem aos mais elevados padrões de isolamento térmico, acústico e de resistência.

Não é por acaso que países como Itália, Espanha, Alemanha, França e até a Dinamarca preferem a cerâmica. No velho continente, a exigência dos consumidores é muito grande, especialmente devido ao inverno rigoroso.

Tommy Bisgaard, da Associação Dinamarquesa de Cerâmica, confirma:  “A Dinamarca possui um clima extremamente frio. Por isso, todas as casas do meu país são feitas com blocos cerâmicos, que garantem melhor conforto térmico e qualidade do ar dentro de casa. Esta é uma realidade em toda a Europa.”

Dinamarca

Dinamarca

Cerâmica: da antiguidade até a era espacial

Do grego “kéramos” ou “terra queimada”, a cerâmica é um material de grande resistência, que vem acompanhando a história do homem, deixando pistas sobre civilizações e culturas que existiram há milhares de anos.

Hoje, além de sua utilização na construção civil, a cerâmica é também utilizada na tecnologia de ponta, em ferramentas de corte de precisão, isolantes elétricos, supercondutores e refratários de alto desempenho, como o utilizado em naves e estações espaciais.

Feita à partir dos quatro elementos essenciais da natureza – terra, água, fogo e ar – a cerâmica é sustentável e ecológica. Por isso, ela sempre estará presente em nossas vidas, filtrando a água que bebemos ou erguendo a casa que abriga as nossas vidas.

Estação Espacial Internacional

Estação Espacial Internacional

Terra, o Planeta Água está secando?

Dois terços do nosso Planeta Terra é coberto de água. Essencial à vida, a água representa mais de 70% do nosso corpo.

No Brasil, o nordeste é a região mais castigada pela falta d’água, que flagela  milhares de famílias todos os anos. Mas é exatamente nessa região que mais se desperdiça água na construção civil. Grande parte das novas casas do programa Minha Casa, Minha Vida emprega paredes de concreto, que consomem 6 vezes mais água que a cerâmica. A diferença daria para abastecer Fortaleza por 20 meses, considerando a meta do programa de 2 milhões de casas construídas.

Os cientistas alertam que o desperdício vai deixar sem água mais da metade do planeta, até 2025. No Brasil, somos exemplo de desperdício e a conta nós já estamos pagando.

Assista ao vídeo e dê a sua opinião!

Casa gostosa no frio e no calor

Uma casa confortável é acolhedora no inverno e fresquinha nos dias quentes de verão. Aquela sensação gostosa de conforto também depende dos ambientes serem bem iluminados, arejados e protegidos da umidade. Uma casa assim protege a saúde da família e proporciona bem estar e qualidade de vida. A cerâmica oferece tudo isso: isolamento da temperatura e da umidade de forma mais eficientes que os produtos derivados do cimento.

Uma casa de cerâmica bem construída é gostosa de morar para toda vida.

Taj Mahal, monumento ao amor

O Taj Mahal foi construído pelo imperador Shah Jahan (1628-1658) em memória de sua amada esposa Arjumand Banu. Esse monumento ao amor foi erguido com pequenos tijolos cerâmicos de aproximadamente 18 x 12 x 2,5 cm, produzidos em fornos nos arredores da cidade de Agra, na índia. Recobrindo a alvenaria cerâmica, foram empregados mármore e pedras semipreciosas, como a safira, a turmalina e o lápis-lazúli. O Taj Mahal resistiu a inundações, tempestades, guerras e segue como símbolo do amor e da beleza inspirando a humanidade.

Imagem: Firoze Edassery

Taj Mahal

Taj Mahal

Do Rio Xingu ao Rio de Janeiro, a população enfrenta a má qualidade das novas moradias

Resolver o déficit habitacional brasileiro é um grande desafio que deve ser vencido com ênfase na qualidade e dignidade das moradias oferecidas.

No Xingu, a população realizou protestos contra a baixa qualidade das moradias que estão sendo construídas para substituir as vilas alagadas pela barragem de Belo Monte. Em Niterói, os desabrigados do desabamento do morro do Bumba, ocorrido em 2010, ainda não receberam suas novas casas, no bairro do Fonseca. A obra apresentou rachaduras e paredes ameaçavam desabar, ainda na fase da alvenaria.  Diversos prédios já foram demolidos e estão em reconstrução, após consumir recursos do programa Minha Casa Minha Vida.

Belo Monte

No Rio Xingu, decepção e protestos com as novas casas. Foto: Vitoriano Bill

Quando se trata de habitação popular é preciso ter cuidado com soluções que prometem acelerar a construção, mas sem o compromisso com a qualidade: casa de plástico, casa de lata, parede moldada in loco, entre outras. No fim a população recebe casas cheias de problemas no lugar de moradias dignas, confortáveis e seguras. Afinal, uma casa precisa durar uma vida e não um par de anos.

NiteroiA

Em Niterói, as novas casas apresentam patologias graves e são demolidas. Foto: Zul 

 

Fonte: Fonte: uol.com.br e iridio77.blogspot.com.br

No Círio de Nazaré, a cerâmica simboliza a graça alcançada

Círio de Nazaré

Círio de Nazaré – Imagem: Marcia Sales

Realizado em Belém do Pará há mais de dois séculos, o Círio de Nazaré é uma das maiores e mais belas festas religiosas do Brasil. Reúne, anualmente, cerca de dois milhões de romeiros numa caminhada de fé em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré. No segundo domingo de outubro, a procissão sai da Catedral de Belém e segue até a Praça do Santuário.

A riqueza das manifestações culturais presentes nessa festa conferiram a ela o registro de Patrimônio Cultural do Brasil, pelo Iphan.  Para agradecer a conquista da casa própria, os fiéis levam casinhas e tijolos cerâmicos sobre a cabeça. Levam também barquinhos e objetos que representam as graças alcançadas.

 

Círio de Nazaré

Círio de Nazaré – Imagem: Osmar Arouck

Uma imensa corda de sisal de mais de 400 metros é puxada pelos promesseiros, embalando a imagem santa. A procissão fluvial, o arraial e os brinquedos de miriti completam o acervo desta maravilha da cultura popular brasileira.

Em 2013, o Círio abre oficialmente dia 08/10 e encerra-se no dia 27/10.